Última atualização:  2020-06-15
 
 
Nota importante
 
As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são susceptíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.
 
 

AVISO: COVID-19 (15-06-2020)
Embora a fase de suspensão de todas as atividades não-essenciais no país tenha terminado no dia 30 de maio mantêm-se fortes restrições às atividades económicas, determinadas pela evolução da pandemia nos diferentes estados. É previsível que o pico da epidemia no México se arraste pelo menos até ao mês de agosto.
A nível federal mantém-se a liberdade de circulação, em casos que tal configure uma necessidade essencial, não havendo, até ao momento, restrições à entrada de cidadãos estrangeiros em território mexicano. As autoridades migratórias têm sido rígidas na aplicação das regras de entrada, nomeadamente no que diz respeito à prova da condição de turista (visitante sem permissão para realizar atividades remuneradas), verificando-se um aumento das recusas de entrada.
Na capital Cidade do México, que regista o maior número de casos e falecimentos por Covid-19 do país, e em vários outros estados, como Jalisco e Michoacán, é obrigatório o uso de máscaras em todos os espaços públicos. Podem também estar em vigor em alguns municípios maiores restrições à circulação, por decisão do poder local. Continuam a existir restrições à atividade hoteleira, estando muitos deles interditos/fechados a turistas. Mantêm-se fechadas ao público as zonas balneares.
Aconselhamos os nossos cidadãos que se pretendam deslocar grandes distâncias dentro do país a fazerem-no por via aérea. Deverá ser evitada toda a zona da fronteira sul (Guatemala e Belize), dado o aumento da insegurança.

 

 
  • Partilhe