Última atualização: 2020-10-02

Nota importante

As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.

 

Covid 19 - AVISO (Atualização 02/10/2020)

COVID: apenas podem entrar no país cidadãos ou residentes do Zimbábue. Mesmo esses têm de fazer duas semanas de quarentena obrigatória em casa. Está em vigor um recolher obrigatório entre as 20.00 e as 6.00 e os negócios apenas podem operar entre as 8.00 e as 16.30. As únicas linhas aéreas a voar para o Zimbábue de momento são a Ethiopian e a Kenya Airlines.

Devido a uma greve do pessoal médico e de enfermagem que já dura há meses, os cuidados de saúde no sector público são quase inexistentes. Recomenda-se o uso das opções privadas.

É necessário ter a documentação de identificação válida sempre presente, para poder produzi-la se necessário às forças de segurança. Tenha sempre consigo documentação de identidade ou uma cópia do seu passaporte. Caso tal se mostre necessário, os cidadãos nacionais deverão requerer imediatamente que seja contactada a Embaixada de Portugal.

Devem ser evitadas quaisquer reuniões ou manifestações políticas, dada a imprevisibilidade do seu desfecho. Podem tornar-se violentas sem aviso prévio e a resposta das forças de segurança pode ser desproporcional. Lembra-se ainda que não é permitido fotografar membros do pessoal da polícia e das forças armadas bem como das manifestações e protestos.

A situação económica do Zimbábue continua muito instável com uma constante inflação. A moeda local é o dólar zimbabueano (RTGS) mas desde abril de 2020 que o dólar americano passou a ter curso legal e é comumente aceite, exceto nas portagens, que têm de ser pagas em RTGS. Há escassez de dinheiro físico e, atualmente, não é possível fazer levantamentos de dinheiro usando um cartão bancário internacional. Os principais operadores turísticos e hoteleiros aceitam o dólar americano e cartões interacionais.

O Zimbábue atravessa também uma grave escassez de eletricidade, resultando em longos períodos sem energia. Durante os apagões, deve ter-se especial cuidado na condução pois os semáforos poderão não estar operacionais.

Chama-se também a atenção para crise dos combustíveis para aqueles que planeiem deslocar-se de automóvel. É muito difícil obter-se combustível, sendo, por vezes, necessário esperar em longas filas durante horas.

O país atravessa também uma grave seca, com ocasionais racionamentos de água em certas partes do país. A maior parte dos operadores hoteleiros têm reservas, mas deverá informar-se antes de marcar acomodação.

A disponibilidade de combustível é esporádica e as filas são constantes, podendo levar algumas horas para abastecer. É recomendável verificar com antecedência se pode efetuar um pagamento com cartão de pagamento internacional.

Apesar de ser um país relativamente seguro, permaneça vigilante e verifique se as acomodações e os veículos estão seguros. Não é aconselhável a condução após o anoitecer fora das principais cidades.

Os vistos de turismo e de negócios estão disponíveis no porto de entrada. Não viole as condições do seu visto.

Cidadãos luso-zimbabuanos que viajam para o Zimbábue devem ter um documento de viagem válido para reentrar no Espaço Schengen. Não é possível fazê-lo usando um passaporte do Zimbábue ou um documento de viagem de emergência sem um visto ou autorização de entrada endossada.

 Faça um seguro abrangente médico e de viagem antes de viajar.

 

 

  • Partilhe