Última atualização:  07/11/2021
Nota importante
As presentes informações não têm natureza vinculativa, funcionam apenas como indicações e conselhos, e são suscetíveis de alteração a qualquer momento. Nem o Estado Português, nem as representações diplomáticas e consulares, poderão ser responsabilizadas pelos danos ou prejuízos em pessoas e/ou bens daí advenientes.
 

Aviso

07-11-2021

COVID-19 

Desaconselha-se a realização de viagens não essenciais ao Egipto.

Por motivo da pandemia da COVID-19, as regras de entrada no país podem ser alteradas a curto prazo, pelo que se aconselha uma consulta à companhia aérea antes da viagem.

Para poder entrar em território egípcio, os passageiros e os passageiros em trânsito com mais de 6 anos devem apresentar um teste RT-PCR negativo realizado nas 72 horas anteriores à chegada ao Egipto.

Os passageiros provenientes da Alemanha (Frankfurt), Argentina, Austrália, Bolívia, Brasil, Canadá, Chile, China, Colômbia, Coreia do Sul, Equador, Estados Unidos da América, França (Paris), Guiana, Itália (Roma), Japão, México, Nova Zelândia, Paraguai, Peru, Reino Unido (Londres-Heathrow) Suriname, Tailândia, Uruguai e Venezuela podem apresentar um comprovativo (impresso) de teste RT-PCR negativo realizado nas 96 horas anteriores à partida do último voo directo para o Egipto.

Os passageiros provenientes da Argentina, Bangladesh, Belize, Butão, Bolívia, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, Salvador, Guatemala, Guiana, Honduras, Índia, México, Mianmar, Nepal, Nicarágua, Paquistão, Panamá, Paraguai, Peru, Sri Lanka, Suriname, Uruguai, Venezuela ou Vietnam devem, à chegada, efetuar um teste RT-PCR a suas próprias expensas.

À chegada ao Egipto, todos os passageiros serão sujeitos a um controlo de temperatura. Terão ainda de preencher um cartão de controlo com dados pessoais e apresentar uma apólice de seguro de saúde válida.

Testes COVID-19

Os testes RT-PCR devem ser feitos com recurso a uma zaragatoa nasal ou oral. O resultado do teste deve conter a hora e data da recolha e o tipo de amostra recolhida, devendo ainda ser carimbada pela entidade emissora ou ter um código QR.

Recomenda-se que o comprovativo de realização do teste esteja redigido em inglês.

Passageiros com a vacinação completa contra a COVID-19

Os passageiros vacinados que não tenham estado na América Latina, Bangladesh, Brasil, Butão, Índia, Mianmar, Nepal, Paquistão, Sri Lanka e Vietname, nos últimos 14 dias, podem entrar no Egipto com o certificado de vacinação desde que tenham decorrido 14 dias desde a administração da segunda dose das vacinas da AstraZeneca, Pfizer/BioNTech, Moderna, Sinopharm, Sinovac ou Sputnik V ou 14 dias desde a administração da dose única da vacina Janssen.

Recomenda-se vivamente que os portadores de um certificado de vacinação contendo apenas uma dose da vacina, por recuperação anterior de infecção da COVID-19, realizem um teste RT-PCR previamente a viajar para o Egipto.

Os certificados devem estar redigidos em língua árabe, inglesa ou francesa. Deverão também conter um código QR ou ser autenticados pela embaixada do Egipto no país da partida. Não são aceites certificados com rasuras, acréscimo ou qualquer alteração ao documento original.

OUTROS CERTIFICADOS DE VACINAÇÃO

Devem apresentar o Certificado de Vacinação contra a Febre Amarela os passageiros que chegam ao Egipto provenientes de Angola, Argentina, Benim, Brasil, Burkina Faso, Burundi, Camarões, Chade, Colômbia, Congo, Costa do Marfim, Equador, Eritreia, Etiópia, Gabão, Gâmbia, Gana, Guiana Francesa, Guiana, Guiné Bissau, Guiné Equatorial, Guiné, Libéria,

Mali, Mauritânia, Níger, Nigéria, Panamá, Paraguai, Peru, Quênia, República Centro-Africana, República Democrática do Congo, Ruanda, Senegal, Serra Leoa, Somália, Sudão do Sul, Sudão, Suriname, Tanzânia, Togo, Trinidad e Tobago, Uganda, Venezuela, Zâmbia.

Devem apresentar o Certificado de Vacinação contra a Poliomielite os passageiros que chegam ao Egipto provenientes de Afeganistão, Angola, Benim, Burkina Faso, Camarões, Chade, China, Costa do Marfim, Etiópia, Filipinas, Gana, Malásia, Mianmar, Níger, Nigéria Paquistão, Quênia, República Central da África, República Democrática do Congo, Somália, Togo, Zâmbia.

Recomenda-se vivamente a celebração prévia de um seguro de viagem que permita, entre outras valências, evacuações médicas de emergência.

 

APP REGISTO VIAJANTE

Recomenda-se aos viajantes que se ausentem de Portugal o registo das suas viagens através da aplicação “Registo Viajante”, sendo este voluntário e gratuito, facilitando a ação das autoridades portuguesas perante a ocorrência de eventuais situações de emergência com cidadãos nacionais no estrangeiro.

O registo na aplicação “Registo Viajante” permite receber informações sobre as condições de segurança, ter acesso aos contactos das representações diplomáticas e consulares de Portugal e tem ligação direta ao Gabinete de Emergência Consular.

 PlayStoreAppStore

 

 

  • Partilhe